Newsletter
Notícias

Catação de material reciclável na pauta de organismos internacionais

13/02/2020

Mostrar a importância do trabalho realizado por milhares de catadoras e catadores de materiais recicláveis em todo o Brasil. Este foi o principal objetivo destacado por Claudete Costa, presidenta da Unicatadores, uma das centrais afialidas à Unicopas (União Nacional das Organizações Cooperativistas Solidárias) durante reunião realizada esta semana com representantes de diversos organismos internacionais. Além da Delegação da União Europeia, participaram do encontro lideranças das embaixadas da Dinamarca, dos Países Baixos, da Eslovênia, da Alemanha, da Suécia, da Espanha, de Luxemburgo, de Portugal, da República Checa, da Irlanda, da Áustria e da Bélgica.

“Apresentamos a importância do nosso trabalho para a conservação do meio ambiente e reafirmados que somos os principais atores econômicos e sociais na cadeia produtiva da reciclagem”, ressaltou Claudete, que estava acompanhada de representantes do Movimento Nacional de Catadores de Materiais Recicláveis (MNCR), da Associação Nacional dos Catadores e Catadoras de Materiais Recicláveis (Ancat) e da Unisol Brasil, também afiliada à Unicopas.

Falar sobre os projetos desenvolvidos pela Ancat foi um dos pontos de destaques do encontro. Direcionados para cooperativas, os projetos estabelecem uma relação entre elas e empresas do setor de embalagens. O objetivo é ampliar investimentos diretos em todo o Brasil, ampliando a geração de postos de trabalho dignos com aperfeiçoamento técnico. “Com isso, nós conseguimos ampliar a reciclagem e, consequentemente, contribuir ainda mais com a conservação do meio ambiente. O consumo excessivo e o descarte incorreto do plástico, por exemplo, se tornou um problema gravíssimo, poluindo não só as cidades, mas mares e rios”, observou a presidenta da Unictadores.

Outro ponto de destaque durante a reunião foi a apresentação dos principais dados do Anuário da Reciclagem 2017-2018. No Brasil, existem aproximadamente 388 mil catadoras e catadores de materiais recicláveis, segundo dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) com base no Censo 2010. Todavia, o Movimento Nacional do Catadores de Materiais Recicláveis acredita que existam de 800 mil a 1 milhão de catadoras e catadores em atividade no país.

Saiba mais:

ESPECIAL RECICLAGEM: por que investir em um modelo popular e inclusivo?

Leonardo Pinho, presidente da Unisol Brasil, falou sobre a importância de dar luz às experiências positivas apresentadas, apesar do cenário de violação de direitos enfrentado pelo setor. “Aprofundar a visibilidade e a cooperação para fortalecer essa relação entre empresas e os direitos humanos é um objetivo a ser alcançado. Nós não abrimos mão de incidir junto às autoridades brasileiras em prol da valorização e do reconhecimento das cooperativas de reciclagem”, acrescentou Pinho.

Imprensa Unicopas