Newsletter
Notícias

Braskem capacitará reciclagem em cooperativas do ABC

06/12/2018

As cooperativas de lixo reciclável do ABC estão recebendo assessoria da maior produtora de plástico da América Latina para se profissionalizar e fornecer material que possa retornar para a produção.

O projeto da Braskem, que tem fábrica no polo petroquímico de Santo André e Mauá, vai abranger oito das dez cooperativas existentes hoje na região, sendo três em Diadema, duas em São Bernardo e as restantes em São Caetano, Ribeirão Pires e Mauá. Apenas as duas unidades de Santo André ficaram de fora. De acordo com a empresa, as cooperativas da cidade já são bem estruturadas e possuem projetos com a prefeitura.

A capacitação vai envolver 230 profissionais que trabalham na triagem do lixo. A primeira parte do projeto foi iniciada com diagnóstico das cooperativas e suas deficiências. “As unidades são bem diferentes umas das outras. Mas possuem em comum a alta rotatividade entre os catadores. Como não há relação formal de trabalho, existem dias em que eles comparecem e outros não. As cooperativas com boa liderança conseguem mais estabilidade para captar e vender volume maior e ter renda maior. Aí o catador permanece. A parceria quer dar condições para que elas alcancem esse padrão”, disse o gerente de relações institucionais da Braskem, Flávio Chantre.

O próximo passo após a capacitação é incluir as cooperativas entre os fornecedores. A Braskem possui linhas de produção que usam plástico reciclável em novas embalagens.

“Não é possível incluí-los  agora porque nossa cadeia não pode ter empresas que não sejam formalmente estabelecidas ou que trabalhem em local insalubre. Depois de alcançarem esse ponto, já é possível falar sobre essa inserção”, explicou a diretora de reciclagem da empresa, Fabiana Quiroga.

Outra parte da capacitação é preparar as cooperativas para melhorar a triagem do plástico. “Existem vários tipos de plástico. As garrafinhas, por exemplo, podem ser de polietileno ou PET. Se mistura tipos diferentes, não é possível reciclar. Separar as cores também agrega valor. O desafio será treiná-los de forma lúdica sobre o tema”, contou Fabiana.

Projetos miram consumidor

As cooperativas de reciclagem dependem da importante contribuição dos moradores para que o material chegue nas triagens. São elas quem recebem o lixo vindo da coleta seletiva, que atualmente já é realizada porta a porta em praticamente 100% dos bairros do ABC.

A diretora de reciclagem da Braskem, Fabiana Quiroga, afirma que a empresa lançará projetos em breve pensando também no incentivo para que a população participe do processo. “Vamos testar o incentivo financeiro para que as pessoas reciclem. A ideia é instalar máquinas em estabelecimentos onde a pessoa leva o reciclável e troca por serviços como troca de óleo ou descontos na loja de conveniência”, explica.

 

Vanessa Selicani - Metro Jornal ABC