Newsletter
Notícias

Ademir Assarisse cobra ativação do Conselho Rural de Charqueada

06/10/2017

O charqueadense Ademir Assarisse, que se dedica há tempos à causa agrícola na cidade, ocupou a tribuna livre da Câmara Municipal, na 25ª Sessão Ordinária que aconteceu na terça-feira, (03), para tratar sobre a ativação do Conselho de Desenvolvimento Rural de Charqueada.

“Ademir Assarisse cobra ativação do Conselho Rural de Charqueada” – Foto: Arquivo/Jornal O Regional

“O Conselho está regularizado, mas não está ativo. A gente precisa de ajuda da Câmara Municipal e da Prefeitura para atualizar esse Conselho, porque já está parado há quase um ano. Sem ele não podemos pedir verba para a Secretaria de Agricultura. Inclusive, sem o Conselho também não se aprova a DAP (Declaração de Aptidão ao Pronaf – Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar) para o pequeno produtor, que agora passou a ser aprovada pelo Conselho”, disse.

“Eu vim nesta Casa para pedir a ajuda de vocês e também convidar o povo que nos assiste para fazer parte deste Conselho. Nós vamos realizar uma reunião agora, no dia 9, às 18h30, na Casa da Agricultura de Charqueada”, destacou. “Precisamos de membros da Prefeitura, da Câmara, membros das entidades que têm em Charqueada, inclusive de Cooperativas, Sindicato Rural”, acrescentou.

Assarisse também aproveitou a oportunidade para pedir apoio à Cooperativa do Pequeno Produtor, já fundada no município. “Ela já existe, só que também está precisando de apoio. Se alguém conhece um pequeno produtor que deseja participar…Porque do jeito que está hoje seremos obrigados a deixar essa Cooperativa, porque também precisamos de verba”, informou.

O munícipe ainda fez um apelo para que o veterinário destinado pela Prefeitura para trabalhar com animais de pequeno porte na Casa da Agricultura também pudesse atender os de grande porte. “Porque hoje nós precisamos de vacinação de brucelose, que se tornou obrigatória”, relatou. “Quase todo sítio tem uma vaquinha de leite e seus bezerros, que precisam ser vacinados, e as pessoas não têm condições”, disse.

Jornal Regional