Newsletter
Artigos

Cooperativas de crédito e o agronegócio são um elo fundamental

As cooperativas de crédito dobraram de tamanho nas últimas seis safras do agronegócio. A participação do crédito na agricultura oriundo dessas cooperativas saiu de 9% na safra 2013/2014, para 17,2% atualmente.

Ou seja, um crescimento, descontando a inflação, de 8,8% ao ano. Temos no Brasil segmentos e setores que têm crescimentos muito positivos, e isso precisa ser cada vez mais observado por nós, comentaristas e analistas.

Há 437 cooperativas de crédito no Brasil, em 600 municípios.

O Sicredi, cooperativa criada em 1902 por um padre jesuíta, o padre Amstad, na cidade de nova Petrópolis, no Rio Grande do Sul, tem hoje mil e setecentas agências, com uma carteira de mais de 22 bilhões de reais, tendo crescido no último ano 27,7% se comparado a 2017.

O Bancoop, outro banco cooperativo, atua fortemente assim como o Sicoob também, junto aos produtores rurais. Na grande São Paulo, da mesma forma, o Sicredi, cresceu 40% no último ano.

O agronegócio e o cooperativismo significam um elo natural e fundamental. Ao integrar nisso, o cooperativismo de crédito forma uma orquestração muito importante para a saúde do setor.

Cooperativismo de crédito cresce muito no país, não só no campo, mas como falamos em metrópoles, como São Paulo. E para quem não prestou atenção ainda, a capital e a grande São Paulo têm o maior agribusiness do país, no antes e no pós-porteira das fazendas, claro.

Sobre o CCAS

O Conselho Científico Agro Sustentável (CCAS) é uma organização da Sociedade Civil, criada em 15 de abril de 2011, com domicilio, sede e foro no município de São Paulo-SP, com o objetivo precípuo de discutir temas relacionados à sustentabilidade da agricultura e se posicionar, de maneira clara, sobre o assunto.

O CCAS é uma entidade privada, de natureza associativa, sem fins econômicos, pautando suas ações na imparcialidade, ética e transparência, sempre valorizando o conhecimento científico.

Os associados do CCAS são profissionais de diferentes formações e áreas de atuação, tanto na área pública quanto privada, que comungam o objetivo comum de pugnar pela sustentabilidade da agricultura brasileira. São profissionais que se destacam por suas atividades técnico-científicas e que se dispõem a apresentar fatos concretos, lastreados em verdades científicas, para comprovar a sustentabilidade das atividades agrícolas.

A agricultura, apesar da sua importância fundamental para o país e para cada cidadão, tem sua reputação e imagem em construção, alternando percepções positivas e negativas, não condizentes com a realidade. É preciso que professores, pesquisadores e especialistas no tema apresentem e discutam suas teses, estudos e opiniões, para melhor informação da sociedade. É importante que todo o conhecimento acumulado nas Universidades e Instituições de Pesquisa seja colocado à disposição da população, para que a realidade da agricultura, em especial seu caráter de sustentabilidade, transpareça. Mais informações no website: http://agriculturasustentavel.org.br/. Acompanhe também o CCAS no Facebook: http://www.facebook.com/agriculturasustentavel.

José Luiz Tejon

Dirige o Núcleo de Estudos de Agronegócio da ESPM – Escola Superior de Propaganda e Marketing. Mestrado em Arte e Cultura pela Universidade Mackenzie, Doutorando em Ciências da Educação. Especialização em Agribusiness na Harvard Business School, e Marketing na Pace University – Estados Unidos. Comentarista da Rede de Radio ESTADÃO ESPN, com a coluna DESVENDANDO O AGRONEGÓCIO. Prof. de Pós Graduação da FGV – São Paulo.